Figuras Prisioneiras da Luz

 
 
 

Artigo da Folha de São Paulo online:

http://www1.folha.uol.com.br/saopaulo/1194094-restaurante-no-centro-tem-exposicao-de-quadros.shtml

 

Exposição no Guia Uol


http://guia.uol.com.br/album/2012/12/05/confira-as-exposicoes-que-entram-em-cartaz-em-sp-no-mes-de-dezembro.htm#fotoNav=12

 

 

 

LUIZ ALBERTO DE GENARO – PINTURAS RECENTES

 

 

 

"FIGURAS PRISIONEIRAS DA LUZ”

 

Recorrentes, em sua produção plástica, as figuras do xadrez são jogadas nas novas pinturas de Luiz Alberto de Genaro, como em partida, no interior de cena alegórica platônica, onde, segundo a sua apropriação da narrativa, expõem-se prisioneiras, não das sombras, da luz. Alude, assim, à luz do fogo que o prisioneiro recém-liberto referido por Platão na República encontra atrás do pequeno muro onde dançavam os títeres, outrora deuses eflúvios segundo o seu parco entendimento, em torno do qual se desdobra o mundo da dóxa, da opinião.

Neste ponto, a caverna abre-se, imensa, acolhendo a luz reverberante irradiada das peças, cavalos, cavaleiros, reis e rainhas, verdugos semi-solidificados, pintores e pinturas personificando a história da arte, que se apresentam e se movem através de desfiladeiros e escarpas assombradas espraiando-se em torno de golfos de mares subterrâneos infindos.

A viagem ao centro da terra implica, para Genaro, num mergulho em sua própria pintura contra as invectivas dos mercadores de almas, dos compromissos escusos, das teorias fáceis, dos afazeres mundanos, necessários, mas que domesticam o espírito. Por isso, nessas figuras surge luz potentíssima que intenta representar a Luz Inatural da Graça que a Alma sempre busca reencontrar no interior do antro, seja ele qualquer, o da cena alegórica, o da vida como ela é.

  

Luiz Armando Bagolin

Novembro de 2012


Fotos do Vernissage


 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Home » O Mestre » Exposições de L. A. de Genaro » Figuras Prisioneiras da Luz